Welcome to my mind (sorry about that)

"Sê senhor da tua vontade e escravo da tua consciência"

Aristóteles

terça-feira, 29 de junho de 2010

Talismãs cheios de feitiços

Sai em Novembro a primeira parte do último filme da saga Harry Potter... Toda a gente sabe disso, principalmente, gente louca e fanática (e que conta os dias que faltam para a estreia - talvez não os dias, mas os meses com certeza).

Devo dizer que reagi com cepticismo à saída do primeiro trailer... Sou uma fã muito exigente que está habituada à alta qualidade da escrita e imaginação de J.K. Rowling... e os filmes não chegam aos "calcanhares" dos livros. Desilusão atrás de desilusão... mas supreendam-se... à primeira vista, ou por assim dizer ao primeiro trailer, parece que vai ser um filme bombástico.

Não sei como eles pegaram em seis filmes medíocres e fizeram dois espectaculares... mas a esperança é a última a morrer. Portanto resta-nos esperar até Novembro para confirmar a grandiosidade do filme. É certo que há cenas presentes no filme que não se encontram no livro e vice-versa. Mas podemos sempre consolar-nos com as interpretações fantásticas e os efeitos especiais com que a Warner Brothers nos costuma premiar...

Vou aguardar ansiosamente durante 133 intermináveis dias para ser supreendida... milagres ainda acontecem (isto escrito umas horas depois de Portugal ter sido eliminado do Mundial pela Espanha, mas que podemos fazer?)

Quem viver verá...


video

sexta-feira, 25 de junho de 2010

Apresentação

Se depois de eu morrer, quiserem escrever a minha biografia
Não há nada mais simples
Tem só duas datas - a da minha nascença e da minha morte.
Entre uma e outra cousa todos os dias são meus.

Sou fácil de definir.
Vi como um danado.
Amei as cousas sem sentimentalidade nenhuma.
Nunca tive um desejo que não pudesse realizar, porque nunca ceguei.
Mesmo ouvir nunca foi para mim senão um acompanhamento de ver.
Compreendi que as cousas são reais e todas diferentes umas das outras;
Compreendi isto com os olhos, nunca com o pensamento.
Compreender isto com o pensamento seria achá-las todas iguais...

Um dia deu-me o sono como a qualquer criança
Fechei os olhos e dormi.
Além disso, fui o único poeta da Natureza.

ALBERTO CAEIRO